top of page

Avatar: tecnologia utilizada nos filmes pode ajudar a medicina

Segundo pesquisas, trajes podem ser uma forma

de diagnóstico até duas vezes mais rápidos

Não é de agora que a ficção científica sai do mundo virtual para trazer benefícios para o mundo real. Recentemente, dois estudos publicados na revista Nature, em janeiro de 2023, realizados por pesquisadores da Imperial College London, preveem que a tecnologia utilizada em filmes como Avatar são um caminho para o diagnóstico mais preciso de doenças neurodegenerativas. Estas pesquisas, lideradas pelo Dr. Aldo Faisal, testaram movimentos de pacientes com duas patologias diferentes: Distrofia Muscular de Duchenne (DMD) e Ataxia de Friedreich (FA) e os resultados foram duas vezes mais rápidos que os utilizados atualmente. Os pacientes utilizaram um traje e com o uso de Machine Learning (aprendizado de máquina), o comportamento do movimento foi avaliado enquanto o participante se envolvia em atividades do dia a dia usando a roupa contendo 17 sensores ao longo do período de 12 meses. Ao focar na combinação de tecnologia da roupa e métodos de Machine Learning, chegou-se à hipótese de que os métodos permitiriam identificar padrões complexos e pouco perceptíveis no comportamento do movimento do paciente. Ao saber desta nova tecnologia, a Dra. Vanessa Milanese, Diretora de Comunicação da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, diz que os resultados dos estudos são feitos importantes na ciência. "Estes resultados publicados mostram que cada vez mais a ficção pode contribuir com o desenvolvimento de novas tecnologias para tratamento de doenças graves. A comunidade neurocirúrgica espera que essa tecnologia avance e ajude a melhorar procedimentos envolvendo o sistema nervoso central, sempre pensando em oferecer esperança àqueles que perderam a fé ao receberem um diagnóstico de uma patologia que afeta a mobilidade", comenta a especialista. Para saber mais ou conferir os artigos científicos com os resultados publicados na Nature, basta clicar aqui e aqui.

75 visualizações

Comments


bottom of page