Aconteceu no último final de semana o 8º World Federation of Skull Base - Societies Meeting

Congresso mundial de cirurgia de base de crânio reúne especialistas de todo o mundo em um evento sediado no Brasil

Após ser adiado por 2 anos, aconteceu o 8º World Federation of Skull Base (8º Encontro da Federação Mundial de Sociedades de Base de Crânios), evento realizado entre os dias 22 à 27 de março, no Sheraton Rio Hotel & Resort, localizado na cidade do Rio de Janeiro.

O congresso ocorreu de forma presencial e contou com uma programação completa e diversificada. Este importante evento marca o retorno dos encontros presenciais em 2022, muito importantes em um início de pós-pandemia, para troca de experiências, atualização profissional, networking e rever amigos que a pandemia infelizmente afastou, tudo para poder levar aos pacientes sempre o melhor tratamento possível e disponível.

Nossa equipe conversou com o presidente do congresso, o neurocirurgião Luis Alencar Borba (ex-presidente da SBN) e o Dr. José Alberto Landeiro, presidente de honra do evento. Eles contaram um pouco sobre as suas percepções do congresso deste ano. Confira a entrevista a seguir.

1 - Como foi a organização do 8º World Federation of Skull Base?

Dr. Borba - Em 2016, fomos até o Japão onde estava sendo organizado o 7º Congresso Mundial de Cirurgia da Base do Crânio e esta é uma subespecialidade muito focada em patologias em que envolve neurocirurgiões, oftalmologistas, cirurgiões de cabeça e pescoço, otorrino e cirurgiões plásticos. Neste evento fomos agraciados, após uma uma dura competição com a cidade de Roma, na Itália, com a escolha da cidade do Rio de Janeiro para realizar esse congresso. Junto com o professor Landeiro trabalhamos arduamente neste evento tentando fazer o melhor possível, no qual seria realizado em março de 2020.

SBN - Em relação ao conteúdo apresentado durante os 6 dias de congresso, ficou satisfeito com o que viu?

Dr. Landeiro - O conteúdo foi bastante abrangente e teve palestras proferidas por vários experts na cirurgia da base do crânio. No pré-congresso, houve cursos específicos sobre todas as patologias que acometem a base do crânio. Foram abordados aspectos micro-anatômicos, vias de acesso e complicações.

SBN - Após 2 anos de pandemia da COVID-19, como foi a participação dos especialistas em neurocirurgia no evento?

Dr. Borba - Infelizmente veio a pandemia e todos os nossos sonhos foram por água abaixo, no entanto, continuamos trabalhando para que pudéssemos fazer um congresso ao nível dos anteriores. Tivemos algumas defecções, principalmente de cirurgiões acima dos 70 anos, que não estavam disponíveis para viajar, no entanto a presença maciça de neurocirurgiões latino-americanos e dos cinco continentes fez a grandeza deste congresso. Tivemos mais de 70% dos participantes de fora do Brasil mostrando a importância do evento e principalmente a importância da neurocirurgia brasileira no contexto mundial.

SBN - Na sua opinião, eventos online possuem a mesma qualidade dos presenciais? Qual é a principal diferença, positiva e negativa, entre eles ?

Dr. Landeiro - Os eventos on-line foram fundamentais na pandemia, porém o baixo custo e o excesso levaram ao esgotamento do método. Há que se ressaltar que este modelo pode ser usado pela SBN nos cursos de formação; no entanto, com extremo cuidado. A principal vantagem do congresso on-line é sua facilidade de implementação, no entanto, perde-se o contato pessoal, extremamente importante para a nossa carreira. Além disso, a perda de empregos, em um país como o nosso, deve ser evitada sempre.

SBN - O que podemos aprender de mais importante em eventos como esse?

Dr. Borba - Trazer um evento destes para o Brasil nos encheu de muito orgulho e proporcionou a neurocirurgiões jovens de todos os países a oportunidade de mostrar o seu trabalho. Os neurocirurgiões brasileiros tiveram a oportunidade de mostrar para todo o mundo o excelente trabalho que fazem nesta área tão complexa da neurocirurgia.

163 visualizações