Revisão dos Manuais de Codificação


Associado SBN, queremos a sua opinião sobre a Revisão dos Manuais de Codificação Chegou a hora de por em prática as revisões necessárias dos procedimentos de cirurgia da coluna vertebral. Após o lançamento do manual, o que se viu nos últimos anos foi melhor fluidez nas tratativas entre neurocirurgiões e as operadoras de saúde que aderiram aos manuais.


Por isso, a Comissão de Codificação de Procedimentos da SBN, em conjunto com as Sociedades parceiras - Sociedade Brasileira de Coluna (SBC), Sociedade Brasileira de Neurorradiologia Intervencionista (SBNR) e a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) - está iniciando a fase de revisão dos Manuais de Diretrizes em Codificação.


Convidamos os associados a fazer parte desta mudança e participar da revisão respondendo ao questionário. Os principais temas abordados são: novas propostas de codificação, ajustes das tabelas, erros eventuais não detectados, sugestões, dificuldades e problemas que estamos enfrentando.


A ideia é estabelecer uma relação saudável entre prestadores de serviços em neurocirurgia e operadoras de saúde, de modo que as operadoras que vêm aderindo aos manuais de decodificação estão experimentando uma parceria cada vez mais sustentável.


Para esclarecer as principais dúvidas dos nossos associados sobre este tema tão importante, entrevistamos o Dr. Wuilker Knoner Campos, Diretor de Defesa Profissional SBN; Diretoria Defesa Profissional SBC; Diretor da Comissão de Codificação SBN e SBC.


Qual a importância de se realizar atualizações constantes nos manuais de codificação?


Dr. Wuilker - O mercado da saúde suplementar, as regras das entidades reguladoras, os procedimentos em neurocirurgia e coluna, inovações, novas técnicas e tecnologias estão sempre em constantes mudanças e a nossa especialidade tem que acompanhar este movimento para não ficarmos defasados no tempo e, principalmente, em relação a uma remuneração mais justa.


Fora isso, precisamos validar o que deu certo, repensar o que não deu, para aprumar o barco na rota que ele deve seguir, ajustar novos códigos, etc. Entendemos ao longo do tempo que os planos de saúde também sofrem com a regulação do mercado, e que eles também precisam estar sustentáveis para que a relação com os prestadores seja saudável. Por outro lado, os médicos ao longo do tempo, não recebem reajustes anuais nem com índice da inflação, o que torna o exercício profissional médico cada vez mais difícil. Por isso, é tão difícil encontrar o ponto de equilíbrio nesta relação entre os planos de saúde e os prestadores que buscam uma remuneração mais justa.

Quantos anos já se passaram desde a realização da última revisão?


Dr. Wuilker Knoner - A última atualização foi em 2018 e, desde lá, muitas coisas já mudaram e precisarão ser ajustadas nos manuais. Desta forma, temos quatro anos de maturação do manual no mercado da saúde suplementar, principalmente nos pontos que foram de maior dificuldade de aprovação neste período. Precisamos aprimorar e ajustar as estratégias para o próximo período. Apesar da ansiedade de se ter algo mais imediato, o projeto das codificações é um investimento de médio para longo prazo. Não se transforma um pensamento da noite para o dia.

Quem pode propor essas melhorias?


Dr. Wuilker Knoner - Todos os sócios da sociedade, assim como as próprias operadoras de saúde e demais entidades médicas, podem sugerir melhorias. Acho que uma construção em conjunto poderia melhorar ainda mais a fluidez dos manuais de codificação.


A comunidade médica tem participado das melhorias do manual nos últimos anos?


Dr. Wuilker Knoner - O médico é uma figura que gosta muito da zona de conforto, e tudo que não for relacionado a sua profissão ou sua técnica, do seu dia-dia, ele tende a fugir, inclusive de assuntos administrativos. E isso ao longo dos anos foi o que mais impactou na remuneração médica: a falta de posicionamento do próprio médico. Mas, felizmente, com o tempo, e principalmente mostrando o impacto financeiro que isso pode acarretar, temos conseguido cada vez mais a participação e engajamento dos associados. As redes sociais tiveram um papel fundamental nesta discussão.


De que forma os manuais podem impactar na rotina profissional de um neurocirurgião?


Dr. Wuilker Knoner - De várias formas, tanto direta quanto indiretamente. Primeiramente, os manuais representam um posicionamento das sociedades de especialidades no que diz respeito sobre quem tem a prerrogativa de decidir sobre o melhor tratamento para o seu paciente. Então, quando uma sociedade se reúne, cria um núcleo para tratar quais são os melhores tratamentos e práticas para as doenças relacionadas à especialidade, isso torna essa decisão uma opinião colegiada. E não tem nada mais forte e mais embasado do que especialistas de uma área da medicina opinarem e transcreverem diretrizes sobre o tratamento. É disso que se trata dos manuais, de diretrizes. As codificações representam o passo a passo de cada cirurgia, e qualquer passo que não esteja contemplado nos blocos de codificações sequenciais, não estaria tecnicamente adequado. Por muito tempo, e por falta deste posicionamento, quem sempre ditou as regras de uso de cada código foram os planos de saúde.


Em segundo lugar, as codificações trazem a remuneração médica próximo de um patamar mais justo, qualificando cada etapa que o cirurgião faz efetivamente e sendo remunerado proporcionalmente para isso. Em terceiro lugar, mesmo que você não trabalhe com operadoras de saúde, você tem um referencial para solicitar os valores de sua cirurgia particular, principalmente quando usa o sistema de reembolso.


Na chamada que fizemos neste semestre para participação da revisão dos manuais, uma pergunta foi feita para todos os participantes. Aproximadamente 300 médicos das sociedades SBN, SBC e SBNR responderam o questionário, e para minha grata surpresa, cerca de 94% dos participantes estavam usando os manuais e quando perguntado sobre o impacto na vida profissional, mais de 90% responderam “muito bom” ou “bom”.


Responda e envie para um amigo. Temos o desafio de avançar ainda mais em conquistas de saúde complementar. O prazo de encerramento do questionário é dia 15/08/2021 e pode ser acessado aqui: https://bit.ly/3axCJQH

88 visualizações