Novo procedimento com células-tronco trata a espinha bífida

Tratamento antes do nascimento do bebê pode ser a esperança para muitas famílias


Recentemente, três bebês nasceram após receberem o primeiro tratamento de espinha bífida com células-tronco no mundo, graças aos esforços de cientistas norte-americanos da Universidade da Califórnia. O novo procedimento tem como finalidade agir em um defeito congênito com o feto ainda no útero da mãe. A técnica, ainda em fase experimental e aguardando resultados mais efetivos, pode ajudar as crianças em futuros problemas na coluna vertebral.

Ao todo, a equipe irá analisar 32 fetos (incluindo os três que já nasceram) até os 30 meses de idade para investigar a eficácia e segurança do novo procedimento. A esperança é que as células-tronco trabalhem para reparar e restaurar o tecido espinhal avariado, já que, a cirurgia antes do nascimento pode ajudar ou até mesmo prevenir problemas no desenvolvimento da coluna do bebê.

Ao comentar o estudo, a Dra. Vanessa Milanese, Diretora de Comunicação da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, afirma que este é um dos estudos mais promissores sobre o uso de células-tronco no tratamento de um problema congênito. "Mesmo ainda em fase experimental, o estudo que já dura mais de 10 anos, já mostrou bons resultados ao longo dos anos, pois em outro ensaio já ajudou cordeiros com espinha bífida a andar sem deficiência perceptível", comenta a especialista.

Ainda segundo a Dra. Vanessa Milanese, a comunidade científica, neurológica e neurocirúrgica ficam no aguardo de mais informações positivas sobre este novo tratamento cirúrgico inovador. "Neurocirurgiões de todo mundo esperam ansiosos os resultados preliminares torcendo para que eles sejam uma futura opção de tratamento", finaliza a especialista.

O ensaio clínico é conhecido como "CuRe Trial : Cellular Therapy for In Utero Repair of Myelomeningocele, pode ser lido clicando aqui.

78 visualizações