top of page

Estudo: Casos de AVC devem aumentar 47% nos próximos anos

SBN alerta para os principais sintomas do Acidente Vascular Cerebral no Mês de Conscientização da Doença

Os óbitos causados por conta de um Acidente Vascular Cerebral (AVC), segunda principal causa de morte no mundo, devem aumentar 47% nos próximos anos, passando de 6,6 milhões em 2020 para 9,7 milhões em 2050. Os dados atualizados foram divulgados pela renomada revista científica The Lancet Neurology e acendem um alerta em toda a comunidade médica.

Segundo a Dra. Vanessa Milanese, Diretora de Comunicação da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, os novos dados mostram que a divulgação da prevenção da doença deve ser ampliada. "O derrame cerebral sempre foi uma das principais causas de morte, a doença é uma das mais recorrentes razões de sequelas e incapacidade em todo mundo. Um fato que vale destacar é que esse novo estudo revela que a população de países de baixa renda serão mais afetados pelas consequências da doença do que os de renda alta. Esse é mais um retrato da desigualdade social que afeta o mundo", diz.

O Acidente Vascular Cerebral

O 29 de outubro é lembrado por ser o Dia Mundial de Conscientização do AVC, data que serve como um lembrete sobre a importância de se abordar a doença e as suas sequelas. O AVC é considerado uma doença grave e que surge devido à alteração do fluxo sanguíneo no cérebro, podendo ser de dois tipos:

Acidente vascular isquêmico - responsável por 80% dos casos, podendo ocorrer devido a uma trombose ou embolia.

Acidente vascular hemorrágico - considerado mais grave, surge quando acontece o rompimento dos vasos sanguíneos no interior do cérebro, denominada hemorragia intracerebral. Neste tipo há aumento da pressão intracraniana, que pode resultar em maior dificuldade para a chegada de sangue em outras áreas e agravar ainda mais a lesão.

Atenção aos primeiros sinais de um AVC

Os primeiros sintomas de um Acidente Vascular Cerebral são diversos. Confira seguir alguns deles:

  • Dor de cabeça forte e persistente;

  • Vertigem e confusão mental;

  • Dificuldade em andar, falar e compreender;

  • Paralisia ou dormência da face, da perna ou braço;

  • Perda temporária da visão;

  • Tontura;

Ainda segundo o estudo, o risco de uma pessoa sofrer um ACV está aumento em pessoas jovens e de maia idade (idade igual ou superior a 55 anos) em nível mundial. O diagnóstico precoce é fundamental para o tratamento e qualquer sintoma deve ser investigado por um especialista. "Um estilo de vida saudável, praticar atividade física, não fazer uso de tabaco, evitar uso de drogas e controlar a diabetes pode ajudar a reduzir em até 80% as chances de um ataque de AVC de ambos os tipos", finaliza a especialista.

78 visualizações
bottom of page