top of page

Aneurisma cerebral ou AVC? Conheça as diferenças

Sociedade Brasileira de Neurocirurgia faz alerta sobre os principais

sintomas e diferenças entre as duas doenças

O aneurisma cerebral e o AVC são doenças graves que atingem o sistema nervoso central e, muitas vezes, seus sintomas causam confusão entre a população. O aneurisma é caracterizado pela dilatação anormal de uma das artérias que irrigam o cérebro. Com a parede do vaso fragilizada, o aneurisma pode vazar ou estourar a qualquer momento, causando sangramento e gerando uma hemorragia séria com grave risco de vida.

Já o Acidente Vascular Cerebral (AVC) ocorre quando os vasos que levam sangue ao cérebro se entopem ou se rompem, podendo provocar paralisia da área que ficou sem circulação de sangue. A doença pode ser classificada em dois tipos, sendo:


1 - Acidente vascular isquêmico: responsável por 80% dos casos e podendo ocorrer devido a uma trombose ou embolia.

2 - Acidente vascular hemorrágico: considerado mais grave, surge quando acontece o rompimento dos vasos sanguíneos do cérebro, denominada hemorragia intracerebral. Neste tipo há aumento da pressão intracraniana, que pode resultar em maior dificuldade para a chegada de sangue em outras áreas e causar a lesão.


A Sociedade Brasileira de Neurocirurgia ressalta que quanto mais rápido o atendimento for realizado, menores são os danos e maiores as chances de recuperação. "Tanto o aneurisma cerebral quanto o AVC são duas das maiores causas de morte em todo o mundo. Mesmo que o paciente acometido por uma das doenças sobreviva, o prejuízo na qualidade de vida pode perdurar durante muitos anos ou toda a vida", comenta a Dra. Vanessa Milanese, diretora de comunicação da SBN.


Sintomas do aneurisma

O aneurisma cerebral é considerado uma doença silenciosa então vale a pena prestar atenção nos seguintes sintomas: dor de cabeça súbita, náuseas, vômitos, confusão mental, dor de cabeça extrema e perda de consciência.

Sintomas do AVC

Os sintomas de um Acidente Vascular Cerebral são diversos por isso atenção redobrada aos primeiros sinais da doença que podem ser: dificuldade em andar, falar e compreender, paralisia ou dormência da face, da perna ou braço; perda temporária da visão, tontura, vertigem, confusão mental e dor de cabeça forte e persistente. O acidente vascular cerebral pode ser isquêmico (quando alguma área do cérebro deixa de receber suprimento sanguíneo) ou hemorrágico (quando há extravasamento de sangue para o tecido cerebral ou áreas adjacentes).

O diagnóstico precoce de ambas doenças é fundamental para o tratamento e qualquer sintoma atípico deve ser investigado por um especialista. O tratamento para o aneurisma cerebral pode ser realizado através do controle da pressão arterial e por abordagens cirúrgicas, como a clipagem e embolização, reduzindo o risco de AVC hemorrágico decorrente deste aneurisma. Já o tratamento do AVC isquêmico é feito com o uso do trombolítico (medicamento que tem a função de desfazer o coágulo sanguíneo). Vale lembrar que o AVC voltou a ser uma das principais causas de morte no país após a pandemia de COVID-19.


Ter um estilo de vida mais saudável, praticar atividade física, não fazer uso de tabaco, evitar uso de drogas e controlar a diabetes pode ajudar a reduzir muito as chances de um problema nesse sentido.

140 visualizações
bottom of page