top of page

Parkinson: neuroprótese faz homem voltar a caminhar

Novo dispositivo gera esperança em milhares de pessoas ao redor do mundo Neste mês de novembro, foi publicado o artigo "A spinal cord neuroprosthesis for locomotor deficits due to Parkinson’s disease, no site Natural Medicine, retratando um feito de grande importância para a neurocirurgia funcional mundial. Após um implante na medula espinhal, um homem de 63 anos voltou a andar com fluidez, mesmo com o diagnóstico de Parkinson avançado. Marc Gauthier afirmou que após a cirurgia, todo o domingo vai ao lago e caminha por seis quilômetros, um resultado surpreendente para quem sofre das consequências da doença há 30 anos.

Ao saber sobre os resultados desse estudo, a Dra. Vanessa Milanese, Diretora de Comunicação da SBN, afirma que esse aparelho gera grande expectativa na comunidade médica, nas pessoas diagnosticadas com a doença de Parkinson e nos familiares destas pessoas. "A notícia já traz grande esperança para os pacientes e familiares que convivem com o Parkinson, uma vez que com o passar do tempo os sintomas motores costumam piorar significativamente, muitas vezes incapacitando bastante a marcha do indivíduo", diz a especialista.

A tecnologia, ainda em fase experimental, foi desenvolvida por cientistas do Instituto Federal Suíço de Tecnologia de Lausanne (EPFL). Neste experimento, foi desenvolvida uma neuroprótese que opera em circuito fechado e que tem como alvo as zonas de entrada da raiz dorsal que inervam os segmentos lombossacrais para reproduzir a ativação espaço-temporal natural da medula espinhal lombossacral durante a caminhada. Ainda, segundo os pesquisadores, esta prótese não apenas aliviou os déficits neuromotores, mas também restaurou a habilidade de marcha e quedas frequentes.

Ainda são necessários novos estudos e testes para interpretar os efeitos deste aparelho a longo prazo, mas espera-se que um dia os sintomas possam ser freados ou até mesmo revertidos.


233 visualizações

Comentarios


bottom of page