Zika Vírus é o novo aliado contra câncer cerebral, aponta estudo

A pesquisa foi iniciada em 2017 e já está na terceira fase de testes

Em meados de 2015, ano em que a sonda espacial New Horizons chegou ao longínquo Plutão, a Terra vivia seu enfrentamento com o Zika Vírus, transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti e que, logo descobriu-se, causava microcefalia em bebês ainda no ventre de suas mães.


Mas em uma contínua lição da natureza, onde tudo se recicla, este mesmo vírus agora se mostra eficiente em destruir as células de tumores no Sistema Nervoso Central (SNC). O insight sobre se o comportamento do vírus que destrói as células embrionárias no cérebro dos bebês seria reproduzido nas células embrionárias de tumores veio de cientistas da Universidade de São Paulo (USP) que, em parceria com o Instituto Butantan, desenvolveram um componente que foi testado em três fases: na primeira em tumores que causam cânceres no SNC; na segunda em camundongos; e na terceira em cachorros.


Os resultados foram positivos em todas as fases, mesmo nos casos de cânceres em estágios mais avançados. De acordo com as informações divulgadas, houve redução significativa do tumor nos cachorros em apenas alguns dias; redução e até eliminação completa dos tumores em 20 de um total de 29 camundongos.


Esta é uma importante notícia, que aumenta a esperança para o combate desta doença e reforça o potencial criativo da nossa comunidade científica”, reflete a neurocirurgiã Dra. Vanessa M. Holanda, Diretora de Comunicação da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia, ao comentar as informações.


A pesquisa é conduzida pelo Centro de Estudo sobre o Genoma Humano e Células-Tronco, da USP, com início em 2017 e ainda está em curso para analisar todos os desdobramentos.


A terceira fase de testes teve início em 2020 e até o momento coleciona boas novas, como a ausência de efeitos colaterais e nenhum dano do patógeno, criado no laboratório, sobre as células saudáveis.


Os próximos passos são os testes em humanos, o desenvolvimento de terapias avançadas e aprovação na Agência de Vigilância Sanitária (ANVISA).


Assim como a New Horizons seguiu seu caminho para nos deslumbrar com imagens inéditas do vasto sistema solar, essa pesquisa segue desbravando potencialidades e expandindo novos horizontes de esperança.


São Paulo, 09 de junho de 2021


*Com informações de Universidade de São Paulo e UOL


85 visualizações